Edital Videocamp de filmes transformadores

Caixa de Inspirações

Patrocínio

Esta caixa é um convite.

Um convite que nasceu da gente para a Inesplorato. Que virou uma parceria linda e que agora termina em um convite para você. Dentro dela, ainda que virtualmente, tem uma carta e um material curado com muito cuidado e carinho sobre o tema do edital: diálogos. A ideia é que isso amplie seu olhar e, ao mesmo tempo, revele um pouco do que estamos buscando nos projetos. Mas não se limite à caixa. Ela é, de fato, um começo. Como um convite costuma ser.

O conteúdo da caixa

O que significa dialogar em um mundo que parece cada vez mais propenso à intolerância?

Diálogo carrega o sentido de uma ação que precisa do outro para acontecer. É uma palavra bonita, forte, que significa na etimologia "por intermédio de palavras". Diálogos estão na base da crença de que a melhor maneira de conectar pessoas está em entender a relação entre elas. E esse é um assunto importantíssimo para o VIDEOCAMP e para a Coca-Cola Brasil.

A partir disso, nós da Inesplorato preparamos essa caixa com conteúdos inspiradores para abrir cabeças e conectar as pessoas com o tema. Essa galeria de conteúdos foi pensada tanto para quem deseja enviar um projeto para o Edital VIDEOCAMP de Filmes Transformadores quanto para o público em geral, cada vez mais conectado com os desafios que o tema diálogos implica na atualidade.

Para o processo de curadoria, resolvemos explorar a ideia em três eixos:

(1) Diálogo é o poder que a palavra tem para derrubar fronteiras;

Porque diálogo significa uma viagem que uma palavra ou um gesto se dispõe a fazer para derrubar muros, desfazer desentendimentos e promover conciliação. Diálogos criam novos espaços de convívio, para troca e interação. Diálogos promovem união.

(2) Um diálogo verdadeiro pressupõe algumas habilidades;

Um diálogo que possa derrubar fronteiras só pode ocorrer se houver, das duas ou mais partes envolvidas, abertura e generosidade para escutar, desconstruir e doar. Os conteúdos desse eixo abordam e inspiram o desenvolvimento dessas habilidades. É o poder de entendermos diálogo como transformação!

(3) Diálogo é sempre uma troca, ou seja, sempre se leva algo e se deixa algo no lugar.

Sempre damos e sempre recebemos. Uma troca plena, que derruba fronteiras unindo pessoas, nos transforma e nos desenvolve. E é sobre esse processo de troca e reciprocidade que concentramos alguns dos conteúdos da caixa.

Essa caixa contém um conjunto de elementos bastante pertinentes para pensar, se inspirar e compartilhar em torno de diálogos. Tanto eles quanto o tema servem para iluminar as aspirações de todos que se conectam com o assunto. É uma caixa para ajudar a espalhar o sentido e a riqueza da troca, convidando as pessoas a se aprofundarem em um conceito tão essencial, além de estimular a sociedade a abrir os olhos para a importância de dialogar em suas vidas e relações.

Vamos?

leia mais...
A ARTE PERDIDA DO DIÁLOGO
01
COMO CONVERSAR COM UM FASCISTA
02
COMO DISCORDAR (SEM INICIAR A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL)
03
COMO LIDAR COM A ADVERSIDADE
04
COMO LIDAR COM AS DIFERENÇAS
05
COMO TORNAR OS INVISÍVEIS VISÍVEIS
06
HEAD OVER HEELS
07
HUMAN
08
LIFE IN A DAY (A VIDA EM UM DIA)
09
Olhe Além das Fronteiras (Look Beyond Borders)
10
O PODER DO CONFLITO
11
POR QUE OPINIÃO NÃO É UM ARGUMENTO
12
PALAVRAS DE PODER
13
QUANDO SINTO QUE JÁ SEI
14
Missão 1: Você ouve para responder ou para entender?
15
Missão 2: Você já olhou tudo que tem a sua volta?
16
01
A ARTE PERDIDA DO DIÁLOGO
O emocionante vídeo "A Arte Perdida do Diálogo" é um belo depoimento sobre a importância de retomarmos às bases, mais antigas que o alfabeto, do diálogo como forma ideal de compartilhamento de conhecimento, sem agressividade, sem competitividade.
02
COMO CONVERSAR COM UM FASCISTA
Por conta do título, "Como conversar com um fascista", o artigo da filósofa Marcia Tiburi, pode parecer pesado, ou mesmo um assunto muito específico de política. Na verdade se trata de algo mais básico: como aprender e valorizar a construção do diálogo como fundamental ao desenvolvimento de uma democracia. De maneira simples e linguagem acessível, o texto é uma bela aula sobre como diálogo estabelece conexões e união, para além do sentido benéfico de sua existência.
Ir para a página do artigo
03
COMO DISCORDAR (SEM INICIAR A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL) de ALAIN DE BOTTON
O artigo "Como discordar (sem iniciar a Terceira Guerra Mundial)" nos ajuda a entender que o processo de construir diálogos passa por refletir em que sentido estamos de fato concordando ou discordando de outras pessoas. E, quando discordamos, como podemos construir uma divergência que seja sadia, inclusive para os propósitos de um diálogo?
Ir para a página do artigo
04
COMO LIDAR COM A ADVERSIDADE
O livro Como lidar com a adversidade também trata de conflito, mas em uma ótica positiva. Nele, aprendemos que é possível superar as adversidades que ocorrem em nossas vidas, como confusão mental ou vazio existencial, e que impactam negativamente nossas conexões com o outro. Para tanto, precisamos enfrentá-la de maneira positiva e buscar ter experiências proveitosas dessas adversidades.
Ir para a página do livro
05
COMO LIDAR COM AS DIFERENÇAS
No vídeo com a Monja Cohen sobre "Como lidar com as diferenças", ela diz que para a construção do diálogo temos que nos desarmar e construir canais de escuta e generosidade.
06
COMO TORNAR OS INVISÍVEIS VISÍVEIS
A palestra "Como tornar os invisíveis visíveis" é uma inspiradora aula sobre um projeto de fotografia que, através da linguagem das lentes, tratou de mostrar e dialogar com a existência do outro.
07
HEAD OVER HEELS
O lindíssimo curta-metragem "Head Over Heels" fala sobre a dificuldade que temos em estabelecer conversas até mesmo com pessoas próximas a nós. Sim, porque mesmo habitando o mesmo espaço e dividindo as mesmas experiências, eventualmente vivemos como se estivéssemos de cabeça para baixo em relação à vida do outro. Como mudar isso e construir uma possibilidade de troca? As habilidades entram em jogo: escuta, empatia e generosidade.
08
HUMAN
O documentário HUMAN mostra temas que transformam, dão forma ao que entendemos como "seres humanos", que fazem parte de nossas trocas e experiências de vida: amor, trabalho, perdão, família, morte, felicidade e educação. Dividido em 3 partes, é um material extremamente rico em conhecimento para, através do diálogo, quebrarmos barreiras e fronteiras.
09
LIFE IN A DAY (A VIDA EM UM DIA)
No filme o "A Vida em um Dia" os rituais do cotidiano são o palco das experiências de troca. O que aprendemos diariamente sobre nós mesmos pode ser uma ponte para nos abrirmos e aprendermos sobre o outro? Esse belo documentário é uma inspiração nesse sentido.
10
Olhe Além das Fronteiras (Look Beyond Borders)
A partir de uma experiência de troca de olhares por 4 minutos, o vídeo "Olhe além das fronteiras" mostra de maneira poética como é possível nos conectarmos e estarmos dispostos a conhecer melhor uma pessoa.
11
O PODER DO CONFLITO
A palestra de Margaret Heffernan fala sobre o poder do conflito. Para ela, o conflito construtivo é tão ou mais necessário que o consenso para que colhamos os melhores frutos de nossos diálogos. Quem disse que precisamos sempre concordar para crescer?
12
POR QUE OPINIÃO NÃO É UM ARGUMENTO
O artigo "Por que opinião não é um argumento" nos mostra como, diante da discordância, precisamos conhecer de fato o que o outro está colocando, quais são as suas verdades. Isso porque sempre corremos o risco de preponderar nossas opiniões, e elas, no entanto, não podem ser entendidas como argumentação. Muito útil para os incansáveis debates nas redes sociais, não?
Ir para a página do artigo
13
PALAVRAS DE PODER
No livro Palavras de Poder, aprendemos que as palavras têm muito a nos ensinar, sobre nós e sobre o outro. Autoconhecimento, reflexões espirituais e filosóficas são alguns dos caminhos que podemos traçar para considerar o poder de transformação que as palavras possuem, e também o poder de quem as profere. Um mundo mais conectado, gereroso, empático e acolhedor. De dentro para fora.
Ir para a página do livro
14
QUANDO SINTO QUE JÁ SEI
O filme "Quando sinto que já sei" fala sobre novos processos de educação, e sobre como o diálogo (e não a antiga noção de autoridade) é uma das principais bases para mediar o conhecimento entre educadores e crianças. Educação no cerne do diálogo.
Ir para a página do vídeo
15
Missão 1: Você ouve para responder ou para entender?
Em conversas cotidianas, é comum que comecemos a pensar na resposta que daremos antes que o outro tenha terminado sua fala – geralmente para redirecionar ou controlar a conversa. Este exercício ajudará a desenvolver sua capacidade de escuta para que informações vitais não sejam perdidas no meio do caminho.
Encontre alguém para formar uma dupla (um amigo, colega ou parente) e siga a seguinte dinâmica: um de vocês começa o bate-papo com uma frase qualquer e, em seguida, o outro deve formular outra frase que se inicia com a última palavra dita.
16
Missão 2: Você já olhou tudo que tem a sua volta?
No dia a dia, é muito comum nos relacionarmos apenas com o que desejamos ou precisamos enxergar e interagir. Mas você já pensou o quanto de coisas, imagens, pessoas e experiências pode estar deixando passar e que estão no seu entorno?
Escolha um bairro ou uma região da sua cidade e tire 2 horas para fazer uma caminhada por lá. Você pode levar um caderninho para anotar coisas ou seu celular com câmera para registrar imagens. Ideal é que você converse também com pessoas locais mas o mais importante: respire o ar e se atente à paisagem desse lugar que você nunca parou para observar.